quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

Santo do dia



Papai Noel ou São Nicolau?

   Compartilho com vocês um texto que será publicado em nosso jornal paroquial deste mês, escrito por dois jovens agentes  da Pastoral da Comunicação aqui de minha Paróquia.

Para ler clique no link abaixo:

Paróquia Santa Bernadette 

quinta-feira, 29 de novembro de 2012

TEMA: NATAL E A ORIGEM DO PRESÉPIO

O Natal tá chegando. Há tantas propagandas. Shoppings e  casas enfeitadas...Vai ser uma festa e tanto. Muitos presentes. Mas tudo está tão longe de ser aquilo que Jesus veio implantar na terra...


O natal é “Deus que se faz criança”. Ele veio para ser o Caminho, a Verdade e a Vida.
Nós fugimos do Amor de Deus, do compromisso de viver e celebrar o Natal.
Vocês sabem a história do presépio de Natal? É uma tradição bonita das famílias cristãs que você não deve deixar desaparecer. Como apareceram os presépios?
Quem foi a primeira pessoa que armou o primeiro presépio?
Foi São Francisco de Assis no ano de 1223, quem armou pela primeira vez um presépio, e
isso já fazem quase 800 anos. Ele queria fazer um Natal diferente. Procurou um amigo e lhe disse:

- "Eu queria sentir como Jesus nasceu, ver com os meus próprios olhos a pobreza do nascimento do Salvador, Para isso, eu tenho vontade de representar a cena do Natal". O amigo concordou com ele. Então, São Francisco escolheu um lugarejo, chamado Greccio, onde existia um gruta parecida com uma gruta de Belém. Ali, com a ajuda do amigo, armou o primeiro presépio: pôs a manjedoura, pôs o Menino nela, pôs o burrinho e o boi, as figuras dos pastores, dos magos e dos anjos.
   A noite de Natal estava linda! E de todos os lugares o povo veio, trazendo presentes para jesus, enquanto os sinos tocavam e os frades rezavam. Foi celebrada uma missa muito solene, durante a qual São Francisco cantou o Evangelho do Natal. Desde aquela noite, espalhou-se por todo mundo o costume de fazer o presépio de natal.



O PRESENTE MAIS IMPORTANTE

O Natal é tempo de jogar no coração a semente do amor, do perdão e da amizade que deve unir e alegrar os homens e mulheres, meninos e meninas do mundo inteiro.
No dia de Natal, a Igreja no mundo todo reza esta linda oração:

"Ó Deus Todo-Poderoso, concedei-nos que, assim como estamos sendo iluminados pela nova luz do Vosso Filho, que se fez Homem, assim também nós façamos brilhar em todas as nossas ações essa mesma luz que, pela fé, ilumina nossas almas. Amém!"

  Natal, tempo de presentear! Que os presentes não sejam somente um objeto que trocamos, mas sim, o ato de darmos amor, perdão e o verdadeiro bem querer ao próximo.
   No Natal, dia 25 de Dezembro, celebramos o nascimento de Jesus. As pessoas gostam de dar e receber presentes nesse dia. É um costume antigo e muito importante porque expressa nossa alegria pela chegada do menino-Deus.
   Mas infelizmente, como nem todos conhecem o sentido do Natal, tem gente que se preocupa apenas com os presentes e as comidas. O que eles não sabem é que o Nascimento de Jesus é o presente mais importante e valioso que podemos ganhar no Natal. Por isso a Igreja, que é o povo de Deus reunido, fica tão feliz.
Os cantos falam de Natal e todos festejam o grande presente: JESUS.

                             

domingo, 25 de novembro de 2012

Cristo, Rei do universo



Evangelho: João 18,33b-37
Tu és o Rei dos Judeus?
Essa foi a pergunta de Pilatos a Jesus.
E que bela resposta Jesus deu a ele: ” O meu Reino não é deste Mundo.” (João 18, 36)
    Jesus sendo Deus se fez homem para nos salvar, morreu na Cruz e ressuscitou para nos garantir a Vida Eterna.
    Somos cidadãos do Céu, nesta Terra somos peregrinos, estamos de passagem. Você tem cultivado as sementes de eternidade?
    Nossa morada definitiva é o Céu. Somos convidados a proclamar Jesus como Senhor da sua vida, da sua família.
Rezemos:
   Jesus, eu creio no seu Amor. Hoje eu renovo a minha entrega a ti. Reina no meu coração, na minha vida.Contigo quero estar hoje e por toda eternidade.  Amém!

quarta-feira, 21 de novembro de 2012

APRESENTAÇÃO DE NOSSA SENHORA NO TEMPLO



   A memória da apresentação da Virgem Maria é celebrada no dia 21 de novembro, quando se comemora um dos momentos sagrados da vida da Mãe de Deus, sua apresentação no Templo por seus pais Joaquim e Ana. Nenhum livro da Sagrada Escritura relata este acontecimento, sendo fartamente tratado nas escrituras apócrifas, que não são reconhecidas como inspiradas. Segundo esses apócrifos, a apresentação de Maria foi muito solene. Tanto no momento de sua oferta como durante o tempo de sua permanência no Templo verificaram-se alguns fatos prodigiosos: Maria, conforme a promessa feita pelos seus pais, foi conduzida ao Templo aos três anos, acompanhada por um grande número de meninas hebréias que seguravam tochas acesas, com a presença de autoridades de Jerusalém e entre cantos angélicos.
   Para subir ao Templo havia 15 degraus, que Maria subiu sozinha, embora fosse tão pequena. Os apócrifos dizem ainda que Maria no Templo se alimentava com uma comida extraordinária trazida diretamente pelos anjos e que ela não residia com as outras meninas. Segundo a mesma tradição apócrifa ela teria ali permanecido doze anos, saindo apenas para desposar São José, pois durante este período havia perdido seus pais.

São Joaquim e Santa Ana, modelos perfeitos de pais cristãos, exemplo do verdadeiro amor a Deus que eles nos dão. Assim como Eles, devemos estar prontos a  oferecer nossos filhos, quando Deus os chamar para o seu serviço. 
                            

quinta-feira, 8 de novembro de 2012

TEMA: NASCIMENTO DE JESUS


 Objetivo:
- Mostrar aos catequizandos o nascimento de Jesus como a chegada da Salvação prometida por Deus.
 -Relacionar a chegada do Salvador e a sua participação na história do povo como um tempo novo que começa para toda a humanidade.

 Conteúdo do Encontro:
 -Trabalhar questões como: Por que Jesus nasceu pobre, em um lugar simples e humilde? A visita dos Reis Magos. O que sabem sobre Jesus? Como é o seu amor por Jesus? Porque Jesus ama as crianças?
 - Recordar o bom exemplo da família de Nazaré em viver os valores humanos e cumprir a Lei de Deus.
- Maria era sua catequista e levava Jesus a crescer em estatura, em sabedoria e em graça, vivência que os catequizandos devem passar.

Colocação do tema:
Contar a história do nascimento ou ler na Bíblia.
- Colocar no centro da sala um presépio, uma vela, roupas de bebê, figuras de gestantes e de crianças recém nascidas.
- Conversar com os catequizandos sobre a gestação e os cuidados que ela exige. Pedir que contem a história do nascimento deles.
- Convidar os catequizandos a ficarem ao redor dos símbolos e objetos que se encontram no centro da sala.
- Explorar o texto bíblico ressaltando as alegrias e dificuldades enfrentadas por Maria e José no nascimento do menino Jesus e pelas crianças que, como Jesus, nascem sem conforto.
- Dentre os símbolos, destacar o presépio e em especial a imagem do Menino Jesus.

Leitura: Lc 2, 1-21 

Ambientação: toalha, flores, bíblia, imagem, presépio, roupas de bebê, figuras

Material utilizado: Bíblia

Momento de Oração: Lembrar que Jesus está no meio de nós, por isso
somos todos irmãos. Fazer os pedidos espontaneamente e todos agradecem “Obrigado, Jesus"

Atividades:
- Colorir desenhos do nascimento de Jesus, na internet existem vários;
- Fazer com massinha de modelar José, Maria e o Menino Jesus;
- Montar diferentes tipos de presépios de diversos materiais, o ano passado eu fiz com as crianças um presépio de palito de sorvete que também serviu como enfeite de natal, ficou assim:
Este este foi o desenho que as crianças coloriram e que colamos no presépio de palitos que já havíamos montado:


Aprofundamento para o catequista:

Sabemos através do Evangelista São Lucas que, por ocasião do recenseamento da população ordenado pelas autoridades, Maria se dirigiu com José a Belém, e, não tendo encontrado um lugar em nenhuma hospedaria, deu a luz seu Filho num estábulo. Assim o nascimento de Jesus deu-se em condições de extrema pobreza.
A primeira visita que o recém-nascido recebeu foi dos pastores que durante a noite,
enquanto cuidavam do rebanho, ouviram a voz dos anjos que anunciavam o nascimento de Jesus e foram adorá-lo. Ainda, recebeu a visita dos magos guiados por uma estrela que também vieram visitá-lo e deram-lhe presentes, como nos conta o Evangelho de Mateus.
A este acontecimento os evangelistas deram uma grande relevância procurando explicar
por que Jesus nasceu:
- Salvar-nos, reconciliando-nos o Deus: “O Pai enviou seu Filho como o Salvador do mundo" (1Jo 4,10). Este apareceu para tirar os pecados (1Jo 3,5) (CIC 457) .
- Conhecermos o amor de Deus: “Nisto manifestou-se o amor de Deus por nós: Deus
enviou seu único Filho (1Jo 4,9). Pois Deus amou tanto o mundo que deu seu Filho único a fim de que todo que crer nele não pereça, mas tenha a vida eterna” (Jo 3, 16) (CIC 458) .
- Tomar-se verdadeiramente um de nós, menos no pecado: “Na Encarnação o Filho de
Deus assumiu a natureza humana para realizar nela a nossa salvação” (cf. CIC 461) .
- Ser nosso modelo de santidade (cf. CIC 459 e Mt 11, 29).
- Tornar-nos participantes da natureza divina (cf 2Pd 1, 3-4).

Fonte: Crescer em Comunhão - Vol. I - Edit. Vozes

quarta-feira, 7 de novembro de 2012

TEMA: MARIA E A ANUNCIAÇÃO DO ANJO

   Já estamos nos aproximando do final do ano e com ele uma das festas mais importantes de nosso calendário cristão católico,  o Natal.
   Que tal começarmos a introduzir temas que levaram as crianças a entenderem o verdadeiro sentido do natal?

Objetivo:
- Possibilitar aos catequizandos descobrirem que Maria foi escolhida por Deus para ser a Mãe de Jesus.
- Reconhecer que Deus escolheu Maria para ser também a nossa mãe.
- Reconhecer Maria como fiel colaboradora e seguidora de Jesus, fazendo com que a igreja se sinta uma família.
- Reconhecer que o SIM dado por Maria deve ser o sim de todos nós.

 Conteúdo do Encontro:
- Utilizando a bíblia contar a história de Maria e como recebeu a notícia de que seria a mãe do Salvador.
- A visita a Isabel é uma lição de caridade.
- Através do Magnificat, Maria mostra que conhece toda a história da Salvação, está aberta para Deus e para os homens, é fiel aos profetas, conhece a realidade, angústia e esperança do seu povo, tem o coração voltado para Deus e os pés no chão.

Colocação do tema:
Contar a história utilizando a bíblia.
- Colocar em destaque uma imagem de Nossa Senhora.
- Comentar: Se somos filhos de Maria, como devem ser a nossa vida de irmãos?
- Conversar: quantas vezes sentimos dificuldade em obedecer, porque nem sempre entendemos que o que as pessoas nos pedem é para o nosso bem e principalmente porque nos amam.

 Leitura : Lc 1, 26-56

 Ambientação: toalha, flores, bíblia, imagem

 Momento de Oração:  Refletir sobre a presença de Maria em nossa vida, nos momentos em que estamos em dificuldades. Relembrar em silêncio as graças que recebemos por sua intercessão. Rezar pedindo proteção a todos os que sofrem.

Sugestão de atividades: Desenhar o rosto do anjo e colorir o desenho

                                

Aprofundamento para o catequista:

   Dizer sim a Deus no nosso dia-a-dia nem 
sempre é fácil, não e mesmo? Mas, existe uma
pessoa que não exitou em fazer a vontade de Deus: Maria.
   Na anunciação ela de fato entregou-se e manifestou a obediência da fé a Deus por meio do seu mensageiro, o Anjo Gabriel. E no Evangelho de Lucas 1,26-28, escrito entre os anos 75 a 90, que encontramos o chamado de Maria com a visita do Anjo Gabriel, enviado por Deus: "Ave, ó cheia de graça!" A palavra graça é acompanhada por uma frase singular: "0 Senhor está contigo". Isto significa que Maria terá apoio incondicional para realizar o que Deus espera dela.
   Com essas palavras, Maria "perturbou-se"diante do inesperado de sua vocação. Mas,
generosa e reflexiva, soube dialogar com o mensageiro, procurando entender por que ela
seria a favorecida de Deus. Gabriel a anima, pedindo que não temesse, pois Deus a havia
escolhido, não como um privilégio, mas como agraciada com a maternidade messiânica: "Eis que conceberás e darás a luz um filho ... "
    Maria compreende o que se realizara por intermédio dela; mas, sua atitude disponível e
responsável a leva a perguntar como isso se dará. O anjo lhe responde que sua maternidade acontecerá por obra do Espírito Santo. Tomando consciência de que para Deus nada é impossível, abriu seu coração, e de seus lábios brotou a resposta definitiva: "Faça-se em mim segundo a tua palavra". Essa atitude de Maria é o ápice de sua vocação, manifestada na vontade de cumprir prontamente o que o Senhor anunciou. A partir desse momento, o Salvador tão esperado esta entre nós, homem como nós, nosso irmão. Maria, a primeira a crer em Jesus como Filho de Deus e Salvador do mundo, por sua vontade e entrega confiante, alegre, total e irrestrita à vontade de Deus, torna-se mãe de Cristo. Concebe-o em seu coração antes de concebê-lo em seu ventre. Ela é o modelo dos que ouvem e praticam a Palavra de Deus, como dirá mais tarde o próprio Jesus: "Minha mãe e meus irmãos são aqueles que ouvem a Palavra de Deus e a põem em prática" (Lc 8,21).

Fonte: Crescer em Comunhão Vol. I - Editora Vozes

terça-feira, 23 de outubro de 2012

TEMA: FESTA DE TODOS OS SANTOS

Objetivo: Explicar oque é ser santo, porque festejamos este dia, contar a história de um santo.

                                       
   Para ilustrar esta catequese, sugiro que seja feito um céu (com papel espelho, cartolina ou eva), neste céu poderá haver nuvens ou estrelas e cada criança colorirá um santo e colocará neste céu, após ou durante a explicação da festa de todos os santos.
Preparei este para elas colorirem:

Colocação do tema:

   No dia 1º de novembro, a Igreja celebra a festa de Todos os Santos, ou seja celebra a santidade de muitos cristãos que estão no céu. Eles são nossos heróis na fé, da esperança e da caridade, cada um tem sua história, são homens, mulheres, jovens que acima de tudo testemunharam com sua vida o amor ao Pai. Por isso somos todos convidados, não só neste dia, mas sempre, a olhar pro céu e contemplar a luz dos que brilham lá, porque eles viveram e morreram em Cristo, por Cristo e com Cristo. 
  E oque é ser santo ? Ser santo é levar Jesus para todos os lugares, é praticar a paz, o amor, a caridade com todos que conhecemos.


Vamos saber um pouquinho da vida de um dos santos mais querido da nossa igreja, São Francisco de Assis, que teve um amor muito grande por tudo oque Deus criou.

   A história de São Francisco de Assis é uma história de humildade, caridade e amor ao próximo. Procure contá-la as crianças de forma simples e clara, com muita empolgação.     Você pode utilizar fantoches para auxiliar.

  
"Giovani de Pietri era um jovem miudinho e fraco, porém muito rico e que morava na França. Seu pai tinha tantas riquezas que poderia dar-lhe tudo o que ele quisesse, mas esse jovem não era feliz. Ele sentia uma enorme tristeza em seu coração vendo tanta gente passando fome em sua volta. Foi então que começou a dar aos outros um pouco do que tinha.
   Seu pai ficou furioso! Achou que ele tava maluquinho, doido, completamente pirado! Ele não entendeu o quanto fazia bem a Giovani ajudar os outros. Aí, ele resolveu sair de casa para poder ficar perto de quem precisava dele. Foi então que Giovani rompendo com seu pai rasgou todas as suas vestes e partiu da casa de seu pai, sem dinheiro, sem roupas, sem nada. Ele decidiu pelo voto de pobreza e se ofereceu como servo do próximo.
   As pessoas começaram a chamá-lo de Francisco que quer dizer pequeno francês e o sobrenome Assis veio por causa da cidade onde morava. Então Giovani de Pietri passou a ser conhecido como São Francisco de Assis. A partir deste dia Francisco decidiu que viveria em função dos irmãos, deram a ele uma veste de saco e um cordão que seria preso na cintura. Neste cordão há três nós que simbolizam castidade, obediência e pobreza. Castidade significa não se casar nunca, vivendo em união somente com Deus; obediência para servir a Deus, fazendo todas as vontades Dele e pobreza significa só ter o que for necessário.
   E assim São Francisco viveu com uma fé fervorosa, confiando sempre em Deus. Como prova do amor de Deus por Francisco chagas como as de Jesus apareceram em suas mãos e pés. Por fim São Francisco ainda ficou conhecido como o protetor dos animais ele conta que tudo começou assim: “eu estava fazendo uma palestra sobre o amor de Deus num lugar onde tinha um montão de pombinhas. Mas elas faziam tanto barulho que ninguém escutava o que eu falava. Aí eu me virei para elas e disse:
-Queridas pombinhas, eu sei que vocês já conhecem o amor maravilhoso de Deus por nós e fazem festa por isso, mas estas pessoas também gostariam de conhecer e sentir o amor de Deus. Eu poderia pedir que vocês se acalmassem só por um tempinho? Então, elas pararam de fazer barulho e as pessoas conseguiram ouvir sobre o amor de Deus”. São Francisco de Assis se dedicou a amar e acolher o próximo servindo a Deus e sendo obediente a ele. Nós hoje também somos convidados a seguir Jesus dentro de nossas casas, na escola e em todos os lugares onde estivermos. " (Ministério para crianças 0 RCC MG)

Oração:


CLIQUE AQUI, e você encontrará em outra postagem deste blog, um texto que fala desta importante devoção de nossa fé.

Boa Catequese!


quinta-feira, 18 de outubro de 2012

TEMA: JOSÉ DO EGITO


Objetivo: Contar a história de José. Falar sobre a importância do perdão. Falar que a inveja e a traição são coisas que não agradam a Deus.

Relembrando temas anteriores:

   Falando sobre povo de Deus, imaginamos um povo santo, 
onde não haveria erro, tristeza e desentendimentos. A Bíblia nos fala de um povo escolhido e amado por Deus, porém feito de gente como nós, que nem sempre age de acordo com a vontade do Pai.
   O povo de Deus a partir de Abraão foi crescendo.   Abraão e Sara tiveram um filho que se chamou Isaac.
   Ao se tornar adulto Isaac casou com uma jovem chamada Rebeca, que gerou os gêmeos: Esaú e Jacó.
   Assim começava a crescer um povo diferente, que descobria a presença de Deus a seu lado, na sua história.
   Abraão, antes de morrer deu todos os seus bens a Isaac, o qual deu continuidade à missão do pai Abraão.
   Quando Isaac já estava muito velho, quase cego, chamou Esaú, aquele que nascera primeiro, o primogênito, para abençoá-lo. Mas Jacó, na ausência do irmão, tomou seu lugar e foi abençoado pelo pai, tornado-se o líder, o chefe do povo de Deus.
Jacó tomou para si a missão de Isaac, que era anteriormente a missão de Abraão.
Jacó passou a chamar-se Israel, porque lutou com Deus e com os homens e venceu.
Jacó teve doze filhos, que mais tarde formariam as doze tribos do povo de Israel.José era o preferido do pai, mas odiado pelos irmãos.

LEITURA DA Bíblia-
Gênesis 27, 28-29
Gênesis 27, 39-40
Gênesis 32, 28

História:
   José costumava ter sonhos estranhos, nos quais era sempre um homem muito importante e os 
irmãos, seus servos (empregados, servidor). Isto fazia com que crescesse ainda mais o ciúme de seus irmãos.
   Um dia, decidiram se livrar de José. Levaram-no para bem longe do lugar onde sempre reunia as ovelhas para pastar, tiraram a túnica colorida que Jacó tinha dado de presente e depois o jogaram em um poço (buraco fundo).
   Seus irmãos iriam deixá-lo por lá para morrer, mas apareceu um mercador de escravos e resolveram vendê-lo como escravo.
   Putifar, comandante da guarda do Faraó comprou José e ele tornou-se mordomo na casa de Putifar. Sua mulher era muito má e acusou José de querer namorar com ela. Putifar com raiva mandou José para prisão. Por saber interpretar os sonhos, ficou conhecido na prisão.
   Alguns dias depois, o Faraó teve um sonho estranho e ninguém conseguia entender.    Sabendo da sabedoria de interpretar sonhos, José foi até o Faraó e conseguiu decifrar:
7 vacas gordas = 7 anos de fartura
7 vacas magras = 7 anos de seca e fome
   O Faraó ficou feliz com as palavras e os conselhos de José e ordenou que o vestissem com roupas reais e colocou um anel no dedo de José, assim ele se tornou vice-rei do Egito.
   Nos anos de fartura, José mandou construir celeiros e guardar boa parte da colheita.   Quando vieram os anos de fome, abriu os celeiros para vender aos povos.
   A notícia da venda atraiu os irmãos de José que foram para o Egito comprar alimentos.  Eles não conheceram José quando o viram, apenas se inclinaram para reverenciar o vice-rei que era. Quando José os viu, reconheceu todos.
   Depois de testá-los com duras provas, José se revelou à eles.
   Então seus irmãos pediram perdão e o abraçaram. José perdoou a todos e mandou buscar seu pai Jacó e seu povo para as terras do Egito.
   Foi assim que o povo de Deus se reuniu no Egito e lá viveu protegido, enquanto Jose era vivo.
   José perdoou seus irmãos e lhes deu ajuda e proteção.

Assim foi a história de José: um homem que, guiado por Deus, triunfou.
Hoje também somos convocados a perdoar nossos irmãos e a não guardarmos ressentimentos e mágoas, pois continuamos a construir a história do povo de Deus.

Atividade:

segunda-feira, 8 de outubro de 2012

ANO DA FÉ



   No dia 17 de Outubro de 2011 o Santo Padre divulgou a Carta Apostólica “Porta Fidei” (Porta da Fé) na qual proclamou o Ano da Fé. Este terá início , no próximo dia 11, data de comemoração dos cinquenta anos da abertura do Concílio Vaticano II e de vinte anos da publicação do Catecismo da Igreja Católica, e encerrará na Solenidade de Nosso Senhor Jesus Cristo Rei do Universo, em 24 de Novembro de 2013. 
   Mas qual a importância e o porque em celebrar-se o Ano da Fé?
Não é a primeira vez que a Igreja o celebra. O último foi em 1967, no pontificado de Paulo VI, motivado, já naquela época, em dar uma resposta de fé diante das inúmeras ideologias que buscavam desconsiderar Deus do pensamento coerente e racional.
   Assim também, hoje, o Papa Bento XVI, afirma haver entre nós um “diversa mentalidade que, particularmente, reduz o âmbito das certezas racionais ao das conquistas científicas e tecnológicas. Mas a Igreja nunca teve medo de mostrar que não é possível haver qualquer conflito entre a fé e ciência autêntica”.
   Este novo Ano da Fé, tem igualmente o objetivo de impulsionar os cristãos a aprofundarem o conhecimento sobre a Igreja, dissipando assim, a nuvem negra dos erros de doutrina.O Sumo Pontífice refere-se ao Ano da Fé como, um “tempo de graça espiritual que o Senhor nos oferece” e “tempo de particular reflexão e redescoberta da fé”.

Fonte: Canção Nova

"Que nós possamos viver verdadeiramente este "Ano" , ocasião propícia para avaliar, redescobrir e fortalecer a nossa Fé."

quarta-feira, 3 de outubro de 2012

MÊS MISSIONÁRIO

    Outubro foi escolhido como mês missionário para recordar a chegada ao continente americano dos europeus, que abriu uma nova página na história da evangelização.

     E para nós católicos de todo o mundo, é o período no qual são intensificadas as iniciativas de informação, formação, animação e cooperação em prol da Missão universal. Com o  objetivo em promover e despertar a consciência e a vida missionária cristã, as vocações missionárias, bem como promover uma Coleta mundial para as Missões, para o sustento de atividades de promoção humana e evangelização nos cinco continentes, sobretudo em países onde os cristãos são ainda uma minoria e as necessidades materiais são mais urgentes.


  Este mês está recheado de ricos  eventos missionários, CLIQUE AQUI para saber quais são.


                                 E oque é ser missionário?


             Ser missionário...
... é levar Jesus ao necessitado e
colaborar com o Mestre no que for preciso
para tornar o mundo melhor.


   Todos somos chamados a ser discípulos e missionários de Jesus, desde o dia que fomos batizado, e somos chamados a exercer este papel em todos os lugares onde estamos, a começar em nossa casa no convívio com nossa família.
   Discípulo significa "aprendiz", aquele que aprende com o Mestre.
    Missionário significa "enviado" no sentido de missão, ou seja, é aquele que põe em prática o que aprendeu. 




Os 10 mandamentos do Missionário

1. Ter HUMILDADE para servir e acolher a todos, sem distinção (Mt 20,25-28; Lc 10,30-34).

2. Ter DISPONIBILIDADE para estar sempre a serviço do Reino de Deus (Lc 9, 57-62).

3. Ter DESPOJAMENTO para servir a Deus e aos irmãos, confiando sempre na Providência divina (Lc 9, 1-6).


4. Ter FORÇA ESPIRITUAL através de uma vida de oração (Lc 6,12; Lc 9,28-29; Mt 14,32-34).

5. Ter CORAGEM e CONFIANÇA em Deus, diante de todos os desafios para anunciar o Evangelho, anunciando as injustiças e vencendo todos os tipos de males que oprimem (Lc 4,16-19; Mt 10,28-31).

6. Buscar sempre a INSPIRAÇÃO DE DEUS para levar o amor, o carinho, a paz, o perdão e a reconciliação (Jo 14,12-13).


7. Ter CLAREZA e SABEDORIA de Deus no agir e no falar, lembrando sempre as atitudes, ações e palavras de Jesus.


8. Ter SOLIDARIEDADE e COMPANHEIRISMO para se integrar na equipe missionária (Rm 12,3-8; 1Cor 12,12-26).

9. Ter profunda COMUNHÃO COM DEUS, para que seu testemunho seja verdadeiro e coerente (Jo 15, 4-5; Mt 10,12).


10. Reconhecer a GRANDEZA DE DEUS e se alegrar pelo valor e dons que Ele dá a cada um (Lc 10, 17-21).
Fonte: O Mensageiro. Paróquia N.Sra.de Loreto. RJ.


segunda-feira, 1 de outubro de 2012

   Estamos começando o mês missionário, mês especialmente dedicado ao anúncio e aos anunciadores da Boa Nova da Salvação.
   E começamos este mês, já no primeiro dia, celebrando a vida de Santa Teresinha do Menino Jesus, doutora da Igreja e padroeira das missões.
   Santa Teresinha nasceu em Alençon (França) em 1873 e morreu no ano de 1897. Santa Teresinha não só descobriu que no coração da Igreja sua vocação era o amor, como também sabia que o seu coração - e o de todos nós - foi feito para amar. Nascida de família modesta e temente a Deus, seus pais (Luís e Zélia) tiveram oito filhos antes da caçula Teresa: quatro morreram com pouca idade, restando em vida as quatro irmãs da santa (Maria, Paulina, Leônia e Celina). Teresinha entrou com 15 anos no Mosteiro das Carmelitas em Lisieux, com a autorização do Papa Leão XIII. Sua vida se passou na humildade, simplicidade e confiança plena em Deus.

   Todos os gestos e sacrifícios, do menor ao maior, oferecia a Deus pela salvação das almas e na intenção da Igreja. Santa Teresinha do Menino Jesus e da Sagrada Face esteve como criança para o Pai, livre, igual a um brinquedo aos cuidados do Menino Jesus e, tomada pelo Espírito de amor, que a ensinou um lindo e possível caminho de santidade: infância espiritual.

   O mais profundo desejo do coração de Teresinha era ter sido missionária "desde a criação do mundo até a consumação dos séculos". Sua vida nos deixou como proposta, selada na autobiografia "História de uma alma" e, como intercessora dos missionários sacerdotes e pecadores que não conheciam a Jesus, continua ainda hoje, vivendo o Céu, fazendo o bem aos da terra.

   Morreu de tuberculose, com apenas 24 anos, no dia 30 de outubro de 1897 dizendo suas últimas palavras: "Oh!...amo-O. Deus meu,...amo-Vos!"

   Após sua morte, aconteceu a publicação de seus escritos. A chuva de rosas, de milagres e de graças de todo o gênero. A beatificação em 1923, a canonização em 1925 e declarada "Patrona Universal das Missões Católicas" em 1927, atos do Papa Pio XI. E a 19 de outubro de 1997, o Papa João Paulo II proclamou Santa Teresa do Menino Jesus e da Sagrada Face doutora da Igreja.

Santa Teresinha do Menino Jesus, rogai por todos os missionários deste mundo!

Fonte: Canção Nova
 

terça-feira, 25 de setembro de 2012

TEMA: ANJOS E ARCANJOS: GABRIEL, MIGUEL E RAFAEL


Objetivo: Ensinar sobre a existência dos anjos e arcanjos e reforçar o valor da oração ao nosso anjo da guarda.

 Colocação do tema:
O livro dos Evangelhos diz que os pastores souberam do nascimento de Jesus pelos Anjos. Nós não vemos os Anjos. Porquê? Porque são espíritos puros, não têm corpo.
Os Anjos não são fantasmas. Os fantasmas são invenções da imaginação. Costuma-se representar os Anjos com asas, para indicar que não levam tempo a estar onde querem.
Os Anjos foram criados por Deus, antes da criação do mundo; são muito inteligentes e com vontade muito forte.
Todos os Anjos são bons?
Deus criou todos os Anjos bons. Mas o mais perfeito deles quis ser como Deus, independente de Deus, e atraiu outros anjos com ele: são os demónios e o seu chefe é Satanás.
Os demónios podem fazer-nos mal? Os demónios não podem obrigar-nos a fazer coisas más, mas podem tentar-nos para que as façamos. Nós podemos fugir das suas tentações.
Quem nos ajuda habitualmente a fugir das tentações e a fazer coisas boas? São os Anjos bons.
Os Anjos bons estão junto de Deus, louvando-O, fazendo em tudo a Sua vontade e ajudando os homens.
Quem é o Anjo da Guarda? É o Anjo a quem Deus confia cada homem para o guardar na terra e guiá-lo para o Céu.
Podemos falar com o nosso Anjo da Guarda como com um bom amigo que sempre nos acompanha. Também podemos dizer-lhe esta oração: "Anjo da Guarda, minha companhia, guardai a minha alma de noite e de dia."

Oração:
                                  

 Quem são os Anjos mais conhecidos? São os arcanjos S. Miguel, S. Gabriel e S. Rafael, e os Anjos da Guarda.

Arcanjos - A palavra Arcanjo significa “Príncipe-Anjo”, “chefe dos Anjos”. Três (e apenas três) são conhecidos na Bíblia: Miguel, Gabriel e Rafael.
                        

Miguel aparece já no Antigo Testamento:
“Miguel, um dos primeiro príncipes, veio em meu socorro” (Dan 10,13.21)
O nome hebraico Mi-Ka-El é uma pergunta retórica: “Quem é como Deus?” é considerado o chefe dos exércitos celestiais e o padroeiro da Igreja Católica Universal. É o anjo do arrependimento e da justiça. Seu nome é citado três vezes na Bíblia Sagrada:
No capítulo 12 do livro de Daniel, onde lemos:
“Ao final dos tempos aparecerá Miguel, o grande Príncipe que defende os filhos do povo de Deus. E então os mortos ressuscitarão. Os que fizeram o bem, para a Vida Eterna, e os que fizeram o mal, para o horror eterno”.
Gabriel significa “Força de Deus” ou “Varão de Deus” .É o Arcanjo da Esperança, da Anunciação, da Revelação, sendo comumente associado a uma trombeta - é a Voz de Deus, o transmissor das boas novas. Ao Arcanjo Gabriel foi confiada a missão mais alta que jamais haja sido confiada a alguém: anunciar a encarnação do Filho de Deus. Por isso é muito venerado desde a antiguidade. O termo de apresentação quando apareceu a Zacarias para anunciar-lhe que ia ter por filho João Batista foi este: “Eu sou Gabriel, o que está na presença de Deus” (Lucas 1, 19). 
Rafael significa “Deus curou” ou “Cura de Deus”. Este Arcanjo tem como sua principal característica ajudar na cura dos doentes e, por isso, é o guardião da saúde. Ele age principalmente nas instituições sociais, nos hospitais e até mesmo em casas que estejam precisando de sua ajuda.O seu nome é justificado na história de Tobias (pai) e de Sara, noiva de Tobias (filho). Pai e nora suplicaram a Deus pela cura de suas moléstias e na hora da súplica, Rafael foi enviado à terra:“Naquele instante, na Glória de Deus, foi atendida a oração de ambos; e foi destacado Rafael para curar os dois: tirar as manchas brancas dos olhos de Tobit e entregar Sara como esposa a Tobias¨ (Tb 3,16-17).

A saber:
A Igreja Católica, baseando-se nas Sagradas Escrituras, na herança judaica e nos escritos dos Santos Padres, crê na existência dos anjos, como afirma o próprio Catecismo: “A existência dos seres espirituais, não-corporais, que a Sagrada Escritura chama habitualmente de anjos, é uma verdade da fé. O testemunho da Escritura a respeito é tão claro quanto a unanimidade da Tradição.” (CIC, 328). O desenvolvimento da angeologia (estudo dos anjos) na Igreja Católica aconteceu principalmente no período dos padres apostólicos, quando a fé cristã se viu ameaçada em sua pureza por diversas heresias. 

O confronto mais rigoroso entre o cristianismo e a filosofia neoplatônica estimulou Agostinho e o Pseudo-Dionísio a aprofundar a doutrina tradicional sobre a natureza e a função salvífica dos anjos. O Pseudo-Dionisio, autor desconhecido do século VI, apoiando-se em Proclo, dividiu os anjos em nove coros, hierarquizando-os em três tríades de dignidade crescente: 1º hierarquia - Serafins, Querubins e Tronos; 2º Hierarquia - Dominações, Potências e Virtudes; 3º Hierarquia - Principados, Arcanjos e Anjos. Tal nomenclatura celeste aparece em alguns textos escriturísticos, a saber: Efésios 1, 21 e Colossenses 1, 16.


Sugestão de canto:

Música: Anjinho da guarda (Cantinho da Criança)


quarta-feira, 19 de setembro de 2012

Cristo nos convida: "Venham meus amigos!" Cristo nos envia: "Sejam Missionários!"

O mundo já pode cantar o hino da JMJ Rio2013
HINO OFICIAL DA JMJ RIO2013
"Esperança do amanhecer"


Letra:

Sou marcado desde sempre
com o sinal do Redentor,
que sobre o monte, o Corcovado,
abraça o mundo com Seu amor.

(Refrão)

Cristo nos convida:
"Venham, meus amigos!"
Cristo nos envia:
"Sejam missionários!"

Juventude, primavera:
esperança do amanhecer;
quem escuta este chamado
acolhe o dom de crer!
Quem nos dera fosse a terra,
fosse o mundo todo assim!
Não à guerra, fora o ódio,
Só o bem e paz a não ter fim.

Do nascente ao poente,
nossa casa não tem porta,
nossa terra não tem cerca,
nem limites o nosso amor!
Espalhados pelo mundo,
conservamos o mesmo ardor.
É Tua graça que nos sustenta
nos mantém fiéis a Ti, Senhor!

Atendendo ao Teu chamado:
"Vão e façam, entre as nações,
um povo novo, em unidade,
para mim seus corações!"
Anunciar Teu Evangelho
a toda gente é transformar
o velho homem em novo homem
em mundo novo que vai chegar.



Quer saber tudo como foi o lançamento do hino? Clique no link abaixo:

terça-feira, 18 de setembro de 2012

TEMA: ESAÚ E JACÓ


Objetivo: Ao invés de se deter nos detalhes da história, é melhor fazê-los entender um objetivo principal, um princípio bíblico por trás dos fatos (lembrando que a faixa etária das crianças é de 5 a 7 anos). Nesta história podemos enfocar a mentira como coisa ruim.

Mas também poderíamos enfocar que:

-Devemos buscar as bençãos de Deus independente das circunstâncias e obstáculos que estão diante de nós.
-Devemos honrar o que Deus coloca em nossas mãos e trabalhar com diligência. Deus abençoa quando honramos nosso trabalho.
-Nas dificuldades temos que confiar em Deus, nos achegar a Ele e lembrar de suas promessas e agradecer por tudo que Ele é para nós.
-Deus quer que reconhecemos nossos erros. É como se Deus dissesse: Você quer ser abençoado? Mas quem é você? Qual o seu nome? É quando olhamos para nós mesmos e vemos quem somos. Jacó significava enganador, Jacó respondeu quando Deus o perguntou. Assim Deus mudou seu nome e o abençoou. Deus não nos julga pelo o que fizemos ou fazemos mas pelo que Ele é.

Sugestão de dinâmica (com o objetivo de motivar o interesse  pelo tema do encontro, e provocar uma integração entre eles, criando um clima de alegria e descontração)
Vendar os olhos de uma criança (ou algumas) e fazer com que ela tente adivinhar quem é.
Será que é difícil reconhecer uma pessoa sem vê-la. Como será que Isaac se sentiu quando seu filho o enganou?


Colocação do tema:

- Perguntar aos catequizandos o que é a mentira.
- Perguntá-los se já mentiram ou enganaram alguém, em uma brincadeira, em casa, na escola...
- Perguntar se eles já foram enganados.


Leitura bíblica: Gn 25, 19-34; 27, 1-46; 33
- Contar a história de Isaac e Jacó (Esaú e Jacó), ou assistir com eles este vídeo do "Midinho - O pequeno missionário" que conta esta história bem divertida:

  
Conversando sobre o tema:

- Em nossa casa, na escola ou com os amigos nós usamos da mentira para enganar ou tirar alguma vantagem?
- Jacó mudou de vida. Isso nos mostra que com a benção de Deus nós sempre podemos melhorar. O que eu preciso mudar em mim hoje?

Atividades:

terça-feira, 4 de setembro de 2012

Setembro - Mês da Bíblia

Estamos em setembro, e no Brasil já é uma tradição que este mês seja lembrado como o “Mês da Bíblia”. Setembro foi escolhido pelos Bispos do Brasil como o Mês da Bíblia em razão da festa de São Jerônimo, celebrada no dia 30.  

Ao celebrar o Mês da Bíblia, a Igreja nos convida a conhecer mais a fundo a Palavra de Deus, a amá-la cada vez mais e a fazer dela, a cada dia, uma leitura meditada e rezada. É essencial ao discípulo missionário o contato com a Palavra de Deus para ficar solidamente firmado em Cristo e poder testemunhá-Lo no mundo presente, tão necessitado de Sua presença. 

                         

quarta-feira, 29 de agosto de 2012

TEMA - ARCA DE NOÉ

                         
E dando sequência aos temas abordados da pré-catequese, neste 2º semestre, A arca de Noé será dado no próximo encontro, que tem como objetivo, dentre outros, levar a criança a entender que:

- Deus não se agrada quando vê que estamos fazendo algo errado;

- Deus não é um Deus de castigo, mas sim um Deus de amor, Ele protege aqueles que gostam Dele;

- Assim como Deus firmou uma aliança com Noé, Ele também quer firmar conosco uma aliança;


- Temos que seguir sempre a voz de Deus, não importando com oque os outros falam de nós.


CLIQUE AQUI, e você encontrará a postagem que fiz sobre este tema.

Sugestão de atividades:

 Fazer um lindo painel com uma arca onde os animaizinhos serão coloridos e colados pelas crianças, lembrando que este tipo de atividade é para crianças pequenas que ainda não estão alfabetizadas.

Oração:

Senhor, sei que continua fazendo aliança de amor e fidelidade
com cada um de nós. Por isso, peço que me ajude a ter, como Noé,
um coração aberto, para aceitar sua proposta.
Quero dar testemunho e partilhar com as pessoas a alegria de
viver a aliança de amor com Você, assim como Noé fez.
Obrigado Senhor, por amar a cada um de nós. Amém!