quinta-feira, 10 de janeiro de 2013

REFLETINDO E REDESCOBRINDO NOSSA FÉ

    

   Neste Ano da Fé proclamado pelo Papa Bento XVI desde o período de 11 de outubro de 2012 e que vai até 24 de novembro de 2013, o Santo Padre pede aos fiéis para que rezem a oração do Credo. Esta é a profissão de fé dos fiéis, ou seja, expressa qual é a verdadeira crença dos fiéis católicos.
   Existem duas formas de se rezar o Credo, a primeira denominada Credo Niceno-constantinopolitano, é resultado dos primeiros concílios ecumênicos da Igreja: o Niceno, de Niceia, no ano 325, e o de Constantinopla, em 381. Esta oração ainda é muito comum nas grandes Igrejas do Oriente e do Ocidente. Ela pode ser rezada nas celebrações eucarísticas dependendo da liturgia, o que acontece, normalmente, em ocasiões solenes. 
   Mas há uma forma mais resumida desta oração, que é o chamado símbolo dos apóstolos, ou seja, o Credo que se reza normalmente na Santa Missa no momento da Profissão de Fé.
   Tendo em vista que o Credo é a profissão de fé dos fiéis, o Papa pede que todos a rezem com atenção neste Ano da Fé. Isso porque a proposta deste Ano é justamente uma redescoberta da fé, de forma que os cristãos saibam entender e dar razões da fé que têm.
   Nós muitas vezes rezamos muito rápido, mas é necessário parar e refletir sobre o que se está rezando. 
  A primeira palavra que a profissão de fé nos mostra é o ‘creio’: em que você crê? Começa aí, pois a fé é você meditar aquilo que você está rezando. 
   Você crê em quem: no Pai, no Filho, no Espírito Santo, na Igreja, na Ressurreição da Carne? Esse crer significa a nossa adesão àquilo que estamos rezando. 
   Então, nesse Ano da Fé, o Papa Bento XVI em sua primeira catequese sobre a Fé Cristã em 17/10/2011, nos ensina que: 

“... também hoje precisamos que o Credo seja melhor conhecido, compreendido e pregado. Sobretudo é importante que o Credo seja, por assim dizer, “reconhecido”. Conhecer, de fato, poderia ser uma operação somente intelectual, enquanto “reconhecer” quer significar a necessidade de descobrir a ligação profunda entre a verdade que professamos no Credo e a nossa existência cotidiana, para que esta verdade seja verdadeiramente e concretamente – como sempre foi – luz para os passos do nosso viver”.
                                                                                        Papa Bento XVI 

Texto adaptado das notícias sobre o Ano da Fé da Canção Nova

Um comentário:

Renata disse...

Muito boa postagem! A fé é um processo continuo, de cultivo, amadurecimento e descobertas! Paz e bem!